Este livro custou-me imenso a ler. Não percebo, sinceramente, qual o seu valor literário mas pelos vistos teve sumo suficiente para dar origem a um filme que está a ser badalado e ainda não terei oportunidade de ver.

As cartas falam afinal muito pouco da situação da guerra, muita da informação é descontextualizada, podiam aliás ter incluído alguma das respostas da esposa do autor, há erros que nem sequer foram corrigidos (antes de ontem, por ex. – sim, sou mesquinho), e as repetições são fastidiosas no mínimo. Como sou um leitor perseverante, e acho uma heresia não acabar um livro uma vez iniciado, li todas as cartas – quase 425 páginas. Continuei sem perceber o valor literário ou mesmo documental desta obra. Aposto que a obra só foi publicada por ser quem é, tanto que a obra foi publicada já em 2005. O autor fala mais da evolução do seu manuscrito e das suas ânsias de ser uma vedeta literária – com muito pouca modéstia aliás (mesmo que as cartas assumam um tom confessional naturalmente) – do que falam da guerra em Angola e, no fim, parece-me que esse seu «Voo» não deu em nada. Mais uma vez sou teimoso pelo que vou agora preparar-me para ler a obra de António Lobo Antunes desde a primeira obra, Memória de Elefante, e tentar perceber a sua evolução, pois afinal trata-se de um dos maiores escritores portugueses da actualidade…

print
Paulo Nóbrega Serra
Written by Paulo Nóbrega Serra
Sou doutorado em Literatura com a tese «O realismo mágico na obra de Lídia Jorge, João de Melo e Hélia Correia», defendida em Junho de 2013. Mestre em Literatura Comparada e Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, autor da obra O Realismo Mágico na Literatura Portuguesa: O Dia dos Prodígios, de Lídia Jorge e O Meu Mundo Não É Deste Reino, de João de Melo, fruto da minha tese de mestrado. Tenho ainda três pequenas biografias publicadas na colecção Chamo-me: Agostinho da Silva, Eugénio de Andrade e D. Dinis. Colaboro com o suplemento Cultura.Sul e com o Postal do Algarve (distribuídos com o Expresso no Algarve e disponíveis online), e tenho publicado vários artigos e capítulos na área dos estudos literários. Trabalhei como professor do ensino público de 2003 a 2013 e ministrei formações. De Agosto de 2014 a Setembro de 2017, fui Docente do Instituto Camões em Gaborone na Universidade do Botsuana e na SADC, sendo o responsável pelo Departamento de Português da Universidade e ministrei cursos livres de língua portuguesa a adultos. Realizei um Mestrado em Didáctica do Português e das Línguas Clássicas e uma pós-graduação em Ensino Especial. Vivi entre 2017 e Janeiro de 2020 na cidade da Beira, Moçambique, onde coordenei o Centro Cultural Português, do Camões, dois Centros de Língua Portuguesa, nas Universidades da Beira e de Quelimane. Fui docente na Universidade Pedagógica da Beira, onde leccionava Didáctica do Português a futuros professores. Resido agora em Díli, onde trabalho como Perito de um Projecto de Cooperação e lecciono na UNTL. Ler é a minha vida e espero continuar a espalhar as chamas desta paixão entre os leitores amigos que por aqui passam.