Este livro custou-me imenso a ler. Não percebo, sinceramente, qual o seu valor literário mas pelos vistos teve sumo suficiente para dar origem a um filme que está a ser badalado e ainda não terei oportunidade de ver.

As cartas falam afinal muito pouco da situação da guerra, muita da informação é descontextualizada, podiam aliás ter incluído alguma das respostas da esposa do autor, há erros que nem sequer foram corrigidos (antes de ontem, por ex. – sim, sou mesquinho), e as repetições são fastidiosas no mínimo. Como sou um leitor perseverante, e acho uma heresia não acabar um livro uma vez iniciado, li todas as cartas – quase 425 páginas. Continuei sem perceber o valor literário ou mesmo documental desta obra. Aposto que a obra só foi publicada por ser quem é, tanto que a obra foi publicada já em 2005. O autor fala mais da evolução do seu manuscrito e das suas ânsias de ser uma vedeta literária – com muito pouca modéstia aliás (mesmo que as cartas assumam um tom confessional naturalmente) – do que falam da guerra em Angola e, no fim, parece-me que esse seu «Voo» não deu em nada. Mais uma vez sou teimoso pelo que vou agora preparar-me para ler a obra de António Lobo Antunes desde a primeira obra, Memória de Elefante, e tentar perceber a sua evolução, pois afinal trata-se de um dos maiores escritores portugueses da actualidade…

print
Paulo Nóbrega Serra
Written by Paulo Nóbrega Serra
Sou doutorado em Literatura com a tese «O realismo mágico na obra de Lídia Jorge, João de Melo e Hélia Correia», defendida em Junho de 2013. Mestre em Literatura Comparada e Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, autor da obra O Realismo Mágico na Literatura Portuguesa: O Dia dos Prodígios, de Lídia Jorge e O Meu Mundo Não É Deste Reino, de João de Melo, fruto da minha tese de mestrado. Tenho ainda três pequenas biografias publicadas na colecção Chamo-me: Agostinho da Silva, Eugénio de Andrade e D. Dinis. Colaboro com o suplemento Cultura.Sul e com o Jornal Postal do Algarve, e tenho publicados vários artigos na área dos estudos literários. Trabalhei como professor do ensino público cerca de 10 anos e ministrei formações. De Agosto de 2014 a Setembro de 2017, fui Docente do Instituto Camões em Gaborone na Universidade do Botsuana e na SADC, sendo o responsável pelo Departamento de Português da Universidade e ministrei cursos livres de língua portuguesa a adultos. Realizei um Mestrado em Didáctica do Português e das Línguas Clássicas e uma pós-graduação em Ensino Especial. Ler é a minha vida e espero continuar a espalhar as chamas desta paixão entre os leitores amigos que por aqui passam. Resido actualmente na cidade da Beira, Moçambique, onde coordeno um Centro Cultural Português, do Camões, dois Centros de Língua Portuguesa, nas Universidades da Beira e de Quelimane. Sou docente na Universidade Pedagógica da Beira, onde leciono Didáctica do Português a futuros professores.