Outro livro do autor de Memórias de um espírito que nos leva de regresso à sua ilha, de onde aliás saiu aos 18 anos – conta agora com 70 – e apenas regressou à Boa Vista em 2005. Esse saudosismo está aliás bem patente neste livro cuja estrutura por vezes circular se desenrola como um rosário de memórias, de forma contínua e ininterrupta, sem capítulos ou qualquer divisão entre o texto que abrange cerca de 300 páginas de rememorações a que por vezes se regressa com alguma insistência.
O narrador está lá mas esconde-se por detrás de uma galeria de personagens que são consideradas família, mesmo quando não há qualquer laço de sangue. Apenas duas ou três vezes percebemos que o narrador é acusado de preguiçoso, sempre perdido nos livros e na escrita, o que corrobora a ideia de este livro como uma elegia do eterno retorno ao que se deixou e a que o próprio autor diz ter medo de tentar reencontrar, pois compreende que o passado é algo que não se recupera nem se revive.
Acompanhamos assim uma descrição exaustiva da ilha, ou do que a ilha era durante a infância do narrador, onde a sua história se desdobra mediante várias estórias de diversas personagens, com laivos do humor característico de outras obras do autor, em que um mosaico de superstições, religião, crendice, gastronomia, hábitos e costumes, actividades, é desfiado de forma ligeira e envolvente, como uma história contada por um avô à volta da fogueira, sobre fantasmas que rondam uma acácia e emigrantes que partiram para a terra das oportunidades que nunca deixaram a terra mas a ela nunca regressam, isto é, a verdadeira definição do que é ser insular… saudoso… lusófono… português…

print
Paulo Nóbrega Serra
Written by Paulo Nóbrega Serra
Obtive o grau de doutor em Literatura com a tese «O realismo mágico na obra de Lídia Jorge, João de Melo e Hélia Correia», em Junho de 2013. Mestre em Literatura Comparada e Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, autor da obra O Realismo Mágico na Literatura Portuguesa: O Dia dos Prodígios, de Lídia Jorge e O Meu Mundo Não É Deste Reino, de João de Melo, fruto da minha tese de mestrado. Tenho ainda três pequenas biografias publicadas na colecção Chamo-me: Agostinho da Silva, Eugénio de Andrade e D. Dinis. Colaboro com o suplemento Cultura.Sul e com o Jornal Postal do Algarve, e tenho publicados alguns artigos na área dos estudos literários. Trabalhei como professor do ensino público cerca de 10 anos, ministrei formação. Fui Docente do Instituto Camões em Gaborone na Universidade do Botsuana e na SADC, sendo o responsável pelo Departamento de Português da Universidade e ministrei cursos livres de língua portuguesa a adultos. Realizei entretanto um Mestrado em Didáctica do Português e das Línguas Clássicas, frequento uma formação online de promoção da leitura e preparo-me para uma de revisão. Ler é a minha vida e espero continuar a espalhar as chamas desta paixão entre os leitores amigos que por aqui passam. Resido actualmente na cidade da Beira, Moçambique.