Outro livro do autor de Memórias de um espírito que nos leva de regresso à sua ilha, de onde aliás saiu aos 18 anos – conta agora com 70 – e apenas regressou à Boa Vista em 2005. Esse saudosismo está aliás bem patente neste livro cuja estrutura por vezes circular se desenrola como um rosário de memórias, de forma contínua e ininterrupta, sem capítulos ou qualquer divisão entre o texto que abrange cerca de 300 páginas de rememorações a que por vezes se regressa com alguma insistência.
O narrador está lá mas esconde-se por detrás de uma galeria de personagens que são consideradas família, mesmo quando não há qualquer laço de sangue. Apenas duas ou três vezes percebemos que o narrador é acusado de preguiçoso, sempre perdido nos livros e na escrita, o que corrobora a ideia de este livro como uma elegia do eterno retorno ao que se deixou e a que o próprio autor diz ter medo de tentar reencontrar, pois compreende que o passado é algo que não se recupera nem se revive.
Acompanhamos assim uma descrição exaustiva da ilha, ou do que a ilha era durante a infância do narrador, onde a sua história se desdobra mediante várias estórias de diversas personagens, com laivos do humor característico de outras obras do autor, em que um mosaico de superstições, religião, crendice, gastronomia, hábitos e costumes, actividades, é desfiado de forma ligeira e envolvente, como uma história contada por um avô à volta da fogueira, sobre fantasmas que rondam uma acácia e emigrantes que partiram para a terra das oportunidades que nunca deixaram a terra mas a ela nunca regressam, isto é, a verdadeira definição do que é ser insular… saudoso… lusófono… português…

print
Paulo Nóbrega Serra
Written by Paulo Nóbrega Serra
Sou doutorado em Literatura com a tese «O realismo mágico na obra de Lídia Jorge, João de Melo e Hélia Correia», defendida em Junho de 2013. Mestre em Literatura Comparada e Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, autor da obra O Realismo Mágico na Literatura Portuguesa: O Dia dos Prodígios, de Lídia Jorge e O Meu Mundo Não É Deste Reino, de João de Melo, fruto da minha tese de mestrado. Tenho ainda três pequenas biografias publicadas na colecção Chamo-me: Agostinho da Silva, Eugénio de Andrade e D. Dinis. Colaboro com o suplemento Cultura.Sul e com o Postal do Algarve (distribuídos com o Expresso no Algarve e disponíveis online), e tenho publicado vários artigos e capítulos na área dos estudos literários. Trabalhei como professor do ensino público de 2003 a 2013 e ministrei formações. De Agosto de 2014 a Setembro de 2017, fui Docente do Instituto Camões em Gaborone na Universidade do Botsuana e na SADC, sendo o responsável pelo Departamento de Português da Universidade e ministrei cursos livres de língua portuguesa a adultos. Realizei um Mestrado em Didáctica do Português e das Línguas Clássicas e uma pós-graduação em Ensino Especial. Vivi entre 2017 e Janeiro de 2020 na cidade da Beira, Moçambique, onde coordenei o Centro Cultural Português, do Camões, dois Centros de Língua Portuguesa, nas Universidades da Beira e de Quelimane. Fui docente na Universidade Pedagógica da Beira, onde leccionava Didáctica do Português a futuros professores. Resido agora em Díli, onde trabalho como Perito de um Projecto de Cooperação e lecciono na UNTL. Ler é a minha vida e espero continuar a espalhar as chamas desta paixão entre os leitores amigos que por aqui passam.